quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

#38 - O sequestrador

Quem escreve, se atreve. Trancado dentro do porta-mala do Uno. Escrevo meu réquiem em rap oportuno. Quem grita agora, sou eu mesmo, o Bruno. E o atropelamento não é na rima, é no Passeio Noturno. Mas quem guia o volante é você, te dei minha caneta, então escreve pra eu ver. Escreve: Pra eu viver.

Um comentário: