terça-feira, 8 de setembro de 2009

#9 - Os livros de poemas de Amor

Foto de Consuelo Vivanco

Eles publicam seus livros de poemas de amor
Assim escritos rapidamente entre um pós doutorado e outro
Seguida de uma rápida leitura de poemas originais de Holdërlin
Em hotéis sujos de Paris onde não dormiram Sartre
Por outro lado nem tampouco os personagens de Kassovitz
Entre uma e outra foda com uma inglesa rechonchuda
Que lê um ou outro texto de efeito de Chesterton
E que vive a reclamar da posição que não lhe apetece
Eles “arriscam” um livro de poemas de amor
E fazem a propaganda da despretensão arrogante de que foram escritos mesmo
Entre um pós doutorado e outro às pressas como uma descontração
O que sabem esses ratos de óculos fundos sobre o amor?
Como amam esses ratos esguios e calvos que não trepam bem?
E nem sequer correram de madrugada cobertos de tinta gritando Clarice!
E eu que passei a vida toda a correr e a escrever livros de poemas de amor
Assim entre a poesia de Bia e de Maria Alice
Durmo moribundo numa estação rodoviária sem ser lido
Esperando agora Consuelo com uma folha de jacarandá na mão.
-
Santos, 2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário